Por que smartphones caem com a tela virada para baixo?

Um grupo de físicos a pedido de uma fabricante se reuniu para dar uma resposta a uma das perguntas que mais atormentam o ser humano contemorâneo: como é possível que a tela dos smartphones caiam quase sempre com a tela virada para o chão? A Motorola foi a primeira fabricante a se interessar cientificamente por esse problema. E aqui está a resposta.

Não tem problema admitir se você não for a pessoa mais cuidadosa do mundo. É possível que você tenha o smartphone desprotegido, sem uma mísera capa que o proteja de possíveis quebras. Também é possível que te acusem de “mão mole”, e que tenha passado anos suportando sermões sobre como deve ser mais cuidadoso. No final, a culpada pode ter sido simplesmente a boa e velha física.

O professor Robert Matthews, da Universidade de Aston, fez pesquisas a pedido da Motorola enquanto a fabricante desenvolvia a tecnologia ShatterShield do Moto X Force, para explicar a probabilidade de que a tela se quebrasse com cada queda do smartphone.

Por que smartphones caem com a tela virada para baixo?

A ciência por trás da queda do seu smartphone. / © Weber Shandwick

Como se pode comprovar na imagem superior, ao segurar o aparelho na mão, os dedos ficam situados debaixo do centro de gravidade do dispositivo. Isso aumenta a possibilidade de que ele caia com a tela virada para baixo, tendo girado antes de atingir o solo. Quando o dispositivo se desprende da mão, começa a dar voltas de acordo com uma série de fatores. A velocidade com que gira na queda pode ser verificada resolvendo a seguinte fórmula:

Por que smartphones caem com a tela virada para baixo?

A fórumla da queda azarada. / © Weber Shandwick

L determina o tamanho do seu smartphone, g é a aceleração devido à gravidade, p = 2δ/L é o “parâmetro pendente”, δ é a distância e θ é o ângulo do smartphone ao começar a queda.

Que o pão caia com a manteiga para baixo não é apenas uma lei de Murphy, é também uma lei da física

O estudo conclui que, tendo-se em conta as medidas e forma do smartphone, assim como a distância que está do solo, a duração da queda é demasiado curta para que o dispositivo possa dar a volta por completo e caia com a traseira no chão. Ou seja, quando soltamos o smartphone, o mais provável é que ele termine com a tela no asfalto.

Essa não é a primeira vez que a ciência explica o que considerávamos antes puro azar. O princípio do pão que cai com a manteiga virada para baixo é o mesmo. Não se trata apenas de uma lei de Murphy, é também uma lei da física. Em 2013 o professor Chris Smith, da Manchester Metropolitan University, reuniu um grupo de especialistas para explicar esse eterno enigma. O experimento concluiu que passar manteiga no pedaço de pão faz com que ele acabe por girar 1,5 vezes antes de tocar o solo.

Não que a explicação sirva de consolo, ou que a física arque com o conserto da sua tela. Ela também não explicou por que o seu smartphone cai mais do que os aparelhos dos outros. Talvez num próximo estudo.

Fonte: Androidpit

Davison Ismael

Davison Ismael

Designer gráfico a mais de 6 anos com foco em Web design na cidade de Brasília/DF, é apaixonado por dispositivos Android e uma boa xícara de café. Está sempre antenado em todas as tendências, novidades e lançamentos do mercado mobile. Adora assistir à vídeos reviews e sempre que possível está envolvido em alguma discussão sobre tecnologia.